sábado, junho 30, 2007

Submachine

And the oscar goes to

É extraordinário, praticamente um milagre, mas o melhor presidente de Câmara que alguma vez vi em Portugal é o de Gaia.
(Para quem não acredita, pois que recolha notícias de Gaia desde que Menezes tomou posse e compare-as com as do Porto, por exemplo. Já verão.)

E, ainda por cima, vai acertando no que diz:

"O presidente da Câmara de Gaia, Luís Filipe Menezes, afirmou hoje, em Gaia, que «não faz qualquer sentido referendar o novo tratado europeu, porque ele em nada colide com as instituições nacionais», noticia a Lusa.

«Não se referendou a adesão à Comunidade Europeia nem o Tratado de Maastricht. Porque é que se há-de referendar este tratado, que já sabemos não vai pôr em causa qualquer instituição nacional?»

Luís Filipe Menezes falava aos jornalistas à margem da reunião, em Gaia, da Comissão Executiva do Eixo Atlântico, associação de 28 cidades galegas e do norte de Portugal, de que foi anfitrião e da qual foi hoje eleito presidente.

Menezes sublinhou que «ainda por cima, todos sabemos que em Portugal nunca nenhum referendo foi vinculativo por não ter tido a votação mínima necessária por lei [50 % +1]».

«Nada indica que isso não se repita desta vez, pelo que iríamos todos estar depois a discutir a validade da votação, que estaria de novo em causa», afirmou, assumindo uma posição contrária à defendida pela Direcção do PSD nesta matéria.

O líder social-democrata, Marques Mendes, tem insistido que o seu partido exige um referendo, não para prejudicar a ratificação de um novo tratado europeu, mas para cumprir a «promessa eleitoral» de dar a «palavra ao povo»."


Ainda outra nota: a discrição. É também, de longe, a Câmara mais discreta que conheço. Discreta demais, até.

sexta-feira, junho 29, 2007

Nimerda

Tudo se não for proibido vendem-no na mesmaa mesma porcaria: Aulin, Ainex, Donulide, Edrigyl, Eskaflam, Heugan, Mesulid, Nexen, Nimed, Nimedex, Nisulid, Scaflam, Scaflan.
Sulidene and Zolan for veterinary use.
Many generic and copy-products also exist (Coxtral, Lusemin, Medicox, Nidol, Nimalox, Nimesil, Nimulid, Ventor, Willgo among others

Dr Chandra Mohan Gulhati, editor of the Monthly Index of Medical Specialities, said that the drug Nemisulide had not been approved in the United States, parts of Europe, Canada, or Australia and that last year it was banned in Finland, Spain, and Turkey. "But it continues to be marketed with impunity in India"
E cá também, homem. Cá também.

--------------------------
boticario
------------------------------
dibloc
------------------------------
lentes
-----------------------------
ácido
-----------------------------
vale da porca
----------------------------


etc etc etc etc etc etc etc etc etc

--
Quem andar à procura de ideias para um blogue temático, aqui tem esta. (venenos da botica, sei lá)

Co' a breca

feldene
Lisboa, 29 Jun (Lusa) - A Agência Europeia de Medicamentos (EMEA) recomendou a restrição do uso do piroxicam, a substância activa dos medicamentos Brexin, Feldene, Flexar, Flogocan, Remisil, Reumoxican e Roxazin, devido a reacções adversas gastrointestinais e cutâneas, informou hoje o Infarmed.

De acordo com o documento, o Comité de Medicamentos de Uso Humano da Agência concluiu que o piroxicam "não deverá continuar a ser usado ".
breca sim
Todavia, pode continuar "a ser prescrito a médicos, farmacêuticos e seus familiares, para o alívio sintomático da osteoartrose, artrite reumatóide e espondilite anquilosante".

Juízo

Correia de Campos tem um defeito: demora muito tempo a pôr o lixo no caixote e pede licença ainda por cima.

As pessoas andam tão confusas que já estão cegas e incapazes de discernir o preto do branco: patético é ter um funcionário avesso; anormal é deitar fora medicamentos, senhores!

Ufa!

Finalmente!

sondagens pioram

Ainda ontem escrevi um daqueles comentários que nunca chego a enviar onde perguntava ao irado autor dum post anti-socrático que jurava que isto tinha de mudar como é que ele pensava que isto ía mudar se as sondagens continuam a indicar claramente uma folgada legitimidade democrática com direito ao brinde da Câmara de Lisboa.

Profecias

o processo que Sócrates intentou agora contra um blogger, que, há anos, iniciou o episódio dos diplomas universitários do primeiro-ministro, é mais um passo numa construção que ainda não tem nome.

Não se trata de imperícia. Se fosse, já o rumo teria sido corrigido. Não são ventos de loucura. Se fossem, teriam sido como tal denunciados. Nem são caprichos. É uma intenção, é uma estratégia, é um plano minuciosamente preparado e meticulosamente posto em prática. Passo a passo. Com ordem de prioridades. Primeiro os instrumentos, depois as leis, a seguir as medidas práticas, finalmente os gestos.
------

Os portugueses mais uma vez olharão para trás e terão vergonha.

Loucura

José Sócrates declarou: "Só tenho notícia desse caso pelos jornais e lamento o que aconteceu. Mas quero garantir aos portugueses que nem o Governo nem nenhuma instituição deste país, deixarão que alguém seja sancionado pelo uso do direito à liberdade de expressão".

uma pic da notícia

quinta-feira, junho 28, 2007

Singularis porcus

Disto:

"O ministro da Saúde referiu que «toda a gente sabe» que há desperdício de medicamentos, nomeadamente que, por vezes, os utentes compram unidades a mais do que necessitam. «Certamente essa Associação a que pertence tem pobres inscritos. Talvez pudesse facultar esses produtos farmacêuticos para serem utilizados», recomendou o ministro."


Fazer isto:

"Ministro sugere dar remédios fora de prazo «aos pobres»
O ministro da Saúde, Correia de Campos, aconselhou a entrega «a pobres» de medicamentos fora de prazo, como forma de evitar o desperdício de fármacos.
De acordo com a TSF, Correia de Campos intervinha numa conferência na Ordem dos Economistas quando foi interpelado por um dos participantes, da Associação Nacional de Farmácias, que exibiu um saco com medicamentos fora de prazo, no valor de 1700 euros.
Diário Digital / Lusa"

Já não é apenas o analfabetismo costumeiro nos nossos estultos jornalistas, é também ser singularmente porco.

--------
Pensando bem chega-se à conclusão que esta porcaria de jornalistas que temos a infelicidade de ter como pastores (o rebanho somos todos nós, que é mesmo assim) tem muitas, muitas culpas no cartório.

quarta-feira, junho 27, 2007

Conclusão

Encontrei uma pérola de ciência portuguesa neste pdf. Diz:

"Medidas efectuadas num edifício com antenas instaladas no seu topo mostram que o sinal está cerca de 48 620 vezes abaixo dos máximos recomendados, pelo que se está perfeitamente dentro das margens de segurança."

E logo o audacioso visionário conclui sem medo e sem vergonha:

"Pode-se assim afirmar que, na grande maioria dos casos, não existe perigo para as pessoas que trabalham ou habitam em edifícios com antenas de estação de base instaladas no seu topo."


Deo gratias, digo eu.


Não há dúvida: está pejado de boas intenções, o cabotino. Pena tirar tão inanes conclusões, apesar de rápidas - verdade seja dita.
Como que a adivinhar suspeições, este nosso amigo, não deixa de nos avisar:

"Em Ciência, constitui um princípio básico que os resultados de um qualquer estudo só são aceites como válidos depois de terem sido reproduzidos e verificados pela comunidade científica, sendo posteriormente publicados nas respectivas revistas científicas.
Assim, o facto de uma entidade publicitar resultados numa certa área não significa necessariamente que estes sejam válidos."
Ele é que sabe.
Aconselho toda a gente a dar-lhe ouvidos. A esta última frase, quero dizer.
Mas as realmente boas notícias ficaram, como é tradição, para o fim:

"As antenas apresentam o máximo de radiação numa direcção horizontal, ou próxima desta (ligeiramente inclinada para baixo), decrescendo a radiação, fortemente, à medida que o ângulo se aproxima da vertical, pelo que a radiação para dentro do edifício onde as antenas estão instaladas é francamente inferior à que existe na direcção horizontal (e portanto dirigida ao edifício fronteiro)."

Contudo, ao olhar para a quantidade e variedade das que estão no terraço do prédio onde moro, não posso deixar de sentir que a expressão "as antenas" é demasiado genérica.
------

segunda-feira, junho 25, 2007

Spoiler: Blueprint puzzle solutions

O puzzle blueprint.


Duas filas de 14 puzles:

fila 1: 1,2,3 ... ... 14.

fila 2: 1,2,3 ... ...14.


Soluções possíveis:
fila1_puzzle1
1_2
1_3
1_4
1_5
1_6
1_7
1_8
1_9
1_10
1_11
1_12
1_13
1_14

segunda fila:2_1
2_2
2_3
2_4
2_5
2_6
2_7
2_8
2_9
2_10
2_11
2_12
2_13
2_14 (último)

sábado, junho 23, 2007

Bling

Speechless - Sem voz


Blings, uma invenção minha, são posts que servem principalmente para mostrar aos visitantes que o blog está vivo (coisa mais rara do que se pensa).
O bling original é um post apenas com o texto "Bling!".

sábado, junho 16, 2007

Lépido

Pela primeira vez vejo o primeiro-ministro comportar-se normalmente perante uma suposta "situação difícil" (uma manifestaçãozeca em Abrantes).

(Vejo, porque se me guiasse pela que diziam na reportagem...)

quarta-feira, junho 13, 2007

Bis! Bis!

Continuo estupefacto e maravilhado com esta decisão do Governo. (Escusado será dizer que os motivos e intenções estão longe de ser coincidentes com os que eu idealizo, mas que interessa?)

http://dre.pt/pdf1sdip/2007/06/11200/37983798.PDF

Liberalização nas farmácias em seis meses

O Governo tem seis meses para apresentar a nova legislação que permita a qualquer pessoa ser proprietária de uma farmácia, até agora um exclusivo da classe farmacêutica, segundo um diploma ontem publicado em 'Diário da República'.

E apetece encaixilhar este pedaço da Lei n.º 20/2007 de 12 de Junho:

....proibindo-se a detenção e o exercício,
directo ou indirecto, da propriedade, da exploração ou
da gestão de farmácias a:


i) Profissionais de saúde prescritores de medicamentos;
ii) Associações representativas das farmácias, das
empresas de distribuição grossista de medicamentos ou
das empresas da indústria farmacêutica, ou dos respectivos
trabalhadores;
iii) Empresas de distribuição grossista de medicamentos;
iv) Empresas da indústria farmacêutica;
v) Empresas privadas prestadoras de cuidados de
saúde;
vi) Subsistemas que comparticipam no preço dos
medicamentos;


Soberbo!

sábado, junho 09, 2007

Óbvio

Perguntei-me: queres apostar como, se escreveres paris no google images, aparece a Hilton primeiro que a cidade? Queres?

povo

quarta-feira, junho 06, 2007

A rã e o escorpião

Acerca disto aqui: "Os mísseis iranianos não podem atingir a Europa. Além disso, a Europa é o principal parceiro comercial do Irão. E por que faríamos algo assim?, disse Larijani, que é também o principal negociador iraniano no caso nuclear."

- Porque é a vossa natureza?