sexta-feira, fevereiro 22, 2013

Nós

http://www.youtube.com/watch?v=rG3iENZ0l-c
Uma corda amarrada no orifício bastaria para nos sustentar; como desamarrá-la, porém, quando chegássemos à sua extremidade inferior? Meu tio empregou um meio bem simples para vencer a dificuldade. Desenrolou uma corda da grossura de um polegar, com quatrocentos pés de comprimento; primeiramente deixou metade dela cair, depois enrolou-a ao redor de um bloco de lava saliente e jogou a outra metade na chaminé. Cada um de nós poderia então descer reunindo nas mãos as duas metades da corda que não podia escapar; assim que descêssemos duzentos pés, nada mais simples do que recolhê-la, soltando uma ponta e rebocando a outra. Depois continuaríamos o exercício ad infinitum.
Júlio Verne; Viagem ao Centro da Terra

sexta-feira, fevereiro 15, 2013

Uau!

http://www.nytimes.com/interactive/2013/02/15/world/europe/16meteorite_videogrid.html?ref=europe


quarta-feira, fevereiro 06, 2013

Traineiras

Não há nem um filho da puta que seja homem para lá deixar meia dúzia de peixes para 'semente'. Metem nojo.
Pescam um cardume, seja do que for, inteirinho, e não há um filho da puta que diga assim: "deixa-me deitar meia dúzia ao mar..."

Desculpem lá mas às vezes têm de se chamar os bois pelos nomes.