quinta-feira, novembro 08, 2007

Microscopic Space Aliens Infesting Carpets

Ingleses
Aqui há dias, num fórum da TSF, um emigrante português em Inglaterra lamuriava-se (com aquele tom de voz típico de quem tem por certa a compreensiva solidariedade dos outros) sobre como é triste a vida nos países civilizados: tendo dado umas bofetadas à criancinha que o acompanhava no supermercado (filha, talvez) porque estava a ser chata como o caralho o estupor da garota, teve a desagradável surpresa, e surpresa é o termo certo, de ver que tinha a Assistência Social à sua espera quando chegou à caixa. Olarila!
Verificaram exaustivamente que a criancinha estava, enfim, bem e impuseram umas semanas de terapia ao agressor, só para garantir...
O pobre do homem, apesar de já andar nas consultas psi, não se conseguia conformar com tão bizarro penar e, sem pejo, propagandeava a sua cruz pela rádio,em frequência modulada, ainda sem nenhum vestígio de entendimento da filosofia de vida britânica.
Esta história, a mim, consola-me.

Pasquins. Outra cena adorável e inesquecível, esta fictícia, do filme Men in Black, é quando os nossos heróis, querendo saber onde diabo teria aterrado a nave extraterrestre do mau da fita, simplesmente se dirigem ao quiosque mais próximo e compram o homólogo do Jornal do Incrível: O relato da queda da nave vinha, com foto, na primeira página.


"Kay and Jay go to a newsstand, and Kay buys several tabloids. Jay can't believe this, but Kay calls them the best investigative reporting on the planet. He says that Jay COULD get lucky if he read the New York Times, then shows him the cover story of The World: "ALIEN STOLE MY HUSBAND'S SKIN".



Tony Parsons comentou no Daily Mirror, o caso Maddie:
It is the fault of the spectacularly stupid, cruel Portuguese police. I have never much cared for the convention of calling cops "pigs" or "filth", but I am happy to make an exception.

The decline in relations is also the fault of the appalling [terrível] Portuguese media, happy to print any piece of poisonous trash spoon-fed to them by "police sources" treating the abduction of a small child as light entertainment.

And the Portuguese public must also take their share of the blame. The sight of locals jeering [insultando] at Kate McCann as she went in for questioning made me feel as though these leering bumpkins [brutos mal-intencionados] were not from another country, but another planet.

E um comentário específico para António Santana Carlos, embaixador de Portugal em Londres:
And I would respectfully suggest that in future, if you can't say something constructive about the disappearance of little Madeleine, then you just keep your stupid, sardine-munching mouth shut. [manter essa estúpida boca, que só serve para comer sardinhas, fechada.]

Leio que este sortudo cavalheiro, o senhor embaixador, esteve 7 anos em terras do Oriente, embaixando em Beijing: dado que não entende nem fala uma palavra de chinês, tudo correu bem.
Diz que se ofendeu com o comentário mas que não quer chatices e não tenciona fazer seja o que for. (Acho que quer regressar ao sistema oriental que lhe serviu tão bem quanto Jacob a Labão mas já vai tarde).

Alguns portugueses saíram logo em defesa da honra lusa e fico alegre por eles. Por mim, sou escravo da razão e o mais que vou fazer é dar uma vista de olhos ao livro do bife a ver se também vale a pena ler.

sábado, novembro 03, 2007

Cusca-mos

A revista Guia do Automóvel (que utiliza pontinhos nos números: "51.550€") também não acha bem que os símbolos das unidades de medida sejam imutáveis e soa-lhe mal escrever 15 000 km. Vai daí, com o atrevimento e a alegria habituais dos analfabetos (como o de uma mulher hoje na TV a inventar "lamiré de oportunidade" enquanto afirmava parvoíces a condizer), corrige e manda imprimir kms.


51 550 €