quinta-feira, novembro 30, 2006

Destaque

Destak Porto 30 Novembro 2006:

"45 % dos portugueses morrem sem dignidade"



Antes de mais note-se que é mesmo necessário subentender que se está a falar não "dos portugueses" mas sim "dos portugueses que morrem".

Depois há que dizer que isso não é bom (seja lá o que for que se entenda por morrer com dignidade) mas pior é que 45 % dos portugueses vivem sem dignidade.
E desta vez sem subentendidos.

10011011011000

FRAUDE

http://www.pesquisapsi.com/ca/fotoresp1.htm

Bem-vindo

Não sabem escrever bem-vindo.
DGIDC

quarta-feira, novembro 29, 2006

Reduzir

Há muitas coisas que é necessário reduzir em Portugal. O número de funcionários públicos, o número, não é decididamente uma delas.

terça-feira, novembro 28, 2006

“nomes uniformes de género epiceno"

A nova era da mediocridade: arrogância e presunção

Andam a recolher assinaturas contra a implementação da TLEBS. (Quem quiser: tlebs300@gmail.com)
Eu não o vou fazer: Não é necessário porque a TLEBS é um nado-morto e já gasto a minha cota de inutilidades neste blogue.

A lista de génios colaborantes está aqui:
http://www.dgidc.min-edu.pt/TLEBS/CDMateriaisDidacticos/trabalhos/Lista%20de%20docentes.doc
(convém manter uma distância mínima de segurança destas pessoas: estão armadas (em boas) e são perigosas.)

Tlebs (download):
http://www.dgidc.min-edu.pt/public/pbptg_tling.asp
(aviso: é natural que nunca mais veja o seu PC a funcionar)

As pessoas que amam a língua e tentam esforçadamente usá-la da melhor maneira, que não são muitas, ver-se-íam assim de um momento para o outro, sem um dos seus mais estimados conhecimentos, e tudo por causa de uma feiarrona arrogante e meia dúzia de simplórios.
Este trabalho tem de ser feito por quem sabe (não por quem quer só porque pode) e é essencial que exsude uma arquictetura funcional e acolhedora. Para exibicionismo arrogante já basta a casa da música (o edifício).
Os alunos do ensino básico e secundário precisam de muitas coisas mas já estão suficientemente analfabetizados, não é necessário que o TLEBS venha colaborar nesse campo. Obrigadinho.

sábado, novembro 25, 2006

This is not

http://www.portugaldiario.iol.pt/noticia.php?id=730035
A defesa de Carlos Silvino requereu ao tribunal que está a julgar o processo «Casa Pia» que chame José Sócrates a depor em julgamento.

«Num Estado de direito democrático ninguém está acima da lei», justificou o causídico
.


Indeferido: A justificação alegada não se aplica.

quarta-feira, novembro 22, 2006

Bussiness proposition

Parece que vão gastar 2 milhões de euros, vá, que sejam 5 ou 6, para aferir da qualidade do ensino superior.
Não é necessário, está aqui: O ensino superior é uma merda. Pronto, já sabem; podem gastar o dinheiro noutra coisa.
(Os ministros não andaram lá?! Para que perguntam?!)

Marqueteste

Quando comprei este serviço de acesso à Internet, fiz uma página para experimentar. Um slideshow com meia dúzia de fotos. Meti para lá um contador de visitas e esqueci-me dela.
Hoje calhou ir lá ver. Folgo em saber que tem muitas mais visitas que este blogue.

A pitinha põe o ovo (tradicional infantil)

http://alhosvedrosaopoder.blogspot.com/2006/11/chicken-charles-agora-no-avp.html

http://sobraldesaomiguel.blogspot.com/2006/11/caso-chicken-charles.html

terça-feira, novembro 21, 2006

Viriato

***Liberdade de Expressão***


Julgamento do blog “Chicken Charles: o anti-herói"

Decorreu hoje no Tribunal da Covilhã a segunda sessão do julgamento sobre o blogue “Chicken Charles – o anti herói”. Um processo que chegou aos tribunais depois de uma queixa por difamação apresentada por Carlos Pinto, presidente da Câmara da Covilhã, contra o alegado autor de um blogue. Nesta sessão foram ouvidas as restantes testemunhas de defesa. Este processo continua agora a 13 de Dezembro com a inquirição da última testemunha de acusação.


Escusado será dizer que não é indicado, por medo, digo, por distracção, o endereço da obra criativa.

Mas aqui é: http://www.noticiasdacovilha.pt/

Olhem lá a grande coisa: http://covilhas.blogspot.com/

O senhor presidente já se queixa de problemas de saúde e tudo.
Eu não estou melhor: com esta história ainda acabo com bómitos de monelhos de cavelo. E se o arguido chegar a ser condenado seja ao que for bomitarei perucas inteiras.


Where no wood is, the fire goes out; so where there is no tale bearer, the strife ceaseth. - Bible

***Liberdade de Expressão***


não é presidente da câmaraVoltaire

sábado, novembro 18, 2006

Pensamento

Tudo já foi dito mas sempre fica tudo por dizer.

Autocomentário

Agostinho da SilvaO sábio Agostinho ao perguntar ao MEC "mas quem lhe disse que eu vou morrer? O facto de que até agora toda a gente ter morrido não quer dizer que eu não seja o primeiro a não o fazer!" deslaçou o que podia ter sido uma entrevista histórica e mostrou esoterismos abrasileirados que nem com muita boa vontade se encaixam.MEC
(E indica que Agostinho tinha já alcançado um nível de buda...!)
A percepção de que tudo tem um fim, além de Criacionista (no sentido da criação do homem, não da vida em si), peca por desviada: eu encaro-a sempre como uma desfocada interpretação do efeito borboleta, de que todas as coisas do universo, todas mesmo, estão interligadas e se interferem. Mas fazem-no contingentemente, não por cumprimento de instruções pré-programadas nem para cumprir roboticamente um qualquer fim determinado por um deus de objectivos bem delineados.
A grande realidade do mundo é a contingência. O resto é presunção e água benta.pó De realçar que o efeito borboleta valida, por assim dizer, toda a presunção que se queira: o facto de se dizer uma ladainha ou fazer outra coisa qualquer pode de facto alterar o mundo (pelo menos dali a muito tempo e muito longe).
A 'magia', penso, virá por um processo junguiano daqui.
Se rebobinássemos a história nada seria igual: a contingência impede-o.
Quem sabe explicar isto é Stephen J. Gould, o meu maior herói intelectual...
Nada disto tira importância à vida humana; pelo contrário: saber que somos meros instrumentos de um fim maior é que nos reduz a criados.
A contingência é universal. Numa escala local não impede que eu decida isto ou aquilo. A contingência não impediu ninguém de escolher não eleger Hitler. Mas foi por processos contingentes que se chegou a essa mão - como num jogo de cartas - de opções. Quanto mais nos afastarmos ou recuarmos no tempo melhor veremos isso. Basta pensar uns segundos no tetravô do bisavô de Hitler... :-)
(dá para rir mas é a sério)

Tudo tem consequências, sim;
tudo tem um objectivo, uma função pré-determinada, não (porque implica que uma vida é apenas o percorrer de uma linha pré-definida).

Chamamos destino ao jogo entre o nosso contingente património genético e cultural (que determina as nossas vontades e capacidades/limitações) e as escolhas que fazemos.ants

O destino é como o movimento absoluto: é implícito de mais para se notar. Daí que encaixa mais ou menos que há um destino e que cada um de nós serve apenas para o cumprir.


Eu por exemplo, como bom portuguesinho, recuso-me a lutar contra o meu destino; e assim valido automaticamente a sua tangibilidade por desconsideração da antítese!)

----
(as implicações da cultura nas escolhas; as implicações da engenharia genética e política social no indivíduo;...
falta dizer muitissimo.)

----
Que coincidência!: 2: repetição da entrevista

sexta-feira, novembro 17, 2006

Provocação

Construiram um radio que mede (em unidades imperiais)
com a verdade me enganas
Sizes: 5.5" x 3" d 1.75"!

Justiça social

Entre parvoíces várias li num blogue que há pessoas que acreditam que uma espécie de selecção natural nos garante, vou dar um exemplo, que o director de programas da TVI é a pessoa mais apropriada e capaz para o lugar e que ganha assim a vida não por dinâmicas contingências mas porque existe uma força justiçeira que ordena o caos social de modo a que cada um acabe no sítio certo.

Nero era assim com certeza o homem mais apropriado para governar Roma e Hitler dirigiu a Alemanha porque naquela altura não havia ninguém melhor do que ele para o fazer.
Bush, vê-se bem, é o mais qualificado americano que lá têm.
O bom aspecto, as boas maneiras, a inteligência superior e o refinado sentido de humor são, evidentemente, as razões para ser aquele o apresentador do Preço Certo.

Os narizes foram feitos para usar óculos. Por isso usamo-los. As pernas destinam-se claramente ao uso de calças. Por isso as vestimos.

E todos os génios que passaram fome e foram miseráveis na altura em que outros, fazendo as mesmas coisas, apodreciam de riquezas e honrarias, não são senão bons exemplos dessa selecção justiçeira.

Lavoisier, o melhor cérebro que a França alguma vez teve, viu-se sem ele por ordem de quem sabia o que estava a fazer pois não é possível chegar a ter esse tipo de poder sem que seja por qualidades pessoais inultrapassáveis.

Todos sabemos que são sempre eleitos para os cargos de chefia os que têm mais capacidade, mais ideias e nunca os patetas alegres que todos sabem inofensivos.

Mesmo que assim fosse não ficaríamos melhor: continuaríamos a ser chefiados por incompetentes pois todos iriam sendo justamente promovidos na hierarquia até ao seu nível de incompetência.

Nem tudo é mau: pelo menos pode deduzir-se que quem assim pensa não foi abusado sexualmente pelo bispo da paróquia. Mas é suficientemente estúpido e injusto para pensar que quem teve outra sorte, era porque na altura não havia ninguém melhor para ser bispo do que um pedófilo sociopata.

Só com muito Prozac se pode ver assim o mundo.

Não saberão, hó santa ignorância, que quando há um homem no sítio certo o mundo pula de contente, as estrelas brilham mais e que se ouvem os anjos tocar trompetas?

quinta-feira, novembro 16, 2006

Variabilidade. Nada mais natural do que ser diferente

Kinsey was a zoologist who had studied gall wasps for more than 20 years when he was asked to teach a course on marriage. Finding little research into human sexuality, he decided to conduct his own.Kinsey et all.

Alfred Kinsey, autor do best-seller que vêem na imagem à esquerda, era um pacato e intelectualmente honesto professor que passava os dias a medir vespas.
O destino levou-o ao que conhecemos porque lhe atribuiram uma disciplina equivalente a "Educação Sexual". Ao procurar fontes de informação para preparar as suas lições (eu avisei que ele era intelectualmente honesto) não encontrou nenhuma. Viu-se obrigado, pela sua honestidade, a obter ele próprio essas informações. O resto é história. (Já referi que ele era um homem honesto, já?)

No seu trabalho sobre as vespas, Kinsey descobriu uma expressão da natureza da maior importância.
Se trocássemos todas as vezes que se menciona esterilmente Einstein, por este princípio, o mundo seria com certeza melhor.
É uma só palavra, contudo as implicações que abre são imensas: variabilidade. A natureza gosta de se exprimir com enorme variabilidade.
Kinsey descobriu diferenças de 1700 % em características das vespas, por exemplo o comprimento das asas.tamanho de mamilos: como esperado. Espere encontrar algo equivalente em tudo o que pensar! Desde tamanho de mamilos ou línguas até dimensão de buracos negros ou comportamento de partículas sub-atómicas, seja o que for: espere variabilidade. do site Estranhezas (menu esquerdo)(É por isto que, um exemplo corriqueiro, não se devem usar plantas medicinais naturais: esta imensa variabilidade faz com que seja perigoso prever as doses que se estão a colher).Espere também raridade estatística, claro. Mas o "sino" (curva de Distribuição Normal) tem a boca larga. Muito larga.

Esta decoberta nunca foi devidamente explorada. E contudo penso que seria muito mais eficaz 'sociologicamente' do que dizer que somos geneticamente muito iguais...

Kinsey antes de começar a estudar o comportamento sexual das pessoas já desconfiava que o que se dizia não podia ser verdade. Faltava um dos ingredientes principais da natureza: a variabilidade. E, algo também familiar a Kinsey, se as vespas têm comportamentos sexuais muito diversificados e extremamente elaborados não é nada de estranhar que o mesmo se veja em seres humanos.
O que ele publicou afectou profundamente toda a gente. (Para começar, num momento, o mundo viu-se livre de milhões de auto-supostos tarados).
Mas não surpreendeu quem passava os dias a estudar vespas.

Claro que Alfred, entretanto, aproveitou para se divertir, como não?

Já que falamos de sexo e tamanhos
LinkXXX:
Pénis pequeno
Pénis grande
Mamas grandes
Mamas pequenas

Termodinâmica

no working dreams




PERPETUAL MOTION SEEKERS.

quarta-feira, novembro 15, 2006

Libertação

Tinha medo.
Via que tudo aquilo não podia acabar bem e que era lógico que o seu fim fosse uma catástrofe, uma revolta da paciente natureza, um temporal, um tufão que varresse o mundo, desfazendo o feitiço que o paralisava, arrancando a vida do ponto morto em que se encontrava, acabando finalmente com a sua miséria num terrível dia de juízo final.


Thomas Mann, A Montanha Mágica,(adapt.)

Compreendo

Broche de ouroA Sr.ª D. Mexe-o-traseiro (nome Lakota), li ontem no JN, resolveu abandonar o seu local de trabalho. Como é óbvio, o patrão ficou descontente e naturalmente classificou a extravagância como "inaceitável" e "inadmissível" ou coisa assim.
Inaceitável e inadmissível.

Mexe-o-traseiro entrou com a sua carinha laroca e o seu excitante par de mamas no escritório do patrão. Minutos depois, com um banal e mimoso pedido de desculpas, o inaceitável transformou-se em "completamente esclarecido", "assunto resolvido" ou coisa assim.

E se tornar a acontecer?
-"Tomara, né?"

Quem tiver coragem que atire a primeira pedra.

Tão bonita e formosinha e ninguém quer casar com a Carochinha

Adenda: 28/04/2007

Aí está ela num belo horário, livre do incompetente Júlio Isidro que só é apresentador por ser um irresistível galã.

Compreendo.

Péssimo serviço, óptima vingança

O dr. Sampaio que passava a vida a dizer que era socialista e "não comento", cumpriu a sua presidência, numa palavra, vaidosamente. O que ele de facto sempre pareceu almejar acima de tudo é que a sua história ficasse limpinha, reluzente, imaculada. A sua história, o que dele dirão no futuro, estão a ver?
Quando, tarde e a más horas, deitou abaixo Santana Lopes, que de burro não tem nada apesar de ter protagonizado o discurso de tomada de posse mais caricato que alguma vês se viu a norte do Trópico de Câncer, Sampaio deve ter suspirado mais que nunca. Tal como eu e como Santana, também ele deve ter visto que estava a expôr o seu calcanhar de Aquiles. Dadas as circuntâncias em que a dissolução da Assembleia da República foi ordenada, Santana ficava naturalmente em posição de se vingar e da maneira que mais doeria a Sampaio: manchando a sua imaculada história.
Nesse alegre dia eu disse: Daqui a três meses pimba! um livro de Santana a dizer mal da Presidência de Sampaio. (Da sua Presidência, não de Sampaio. Isto é importante porque é acertar cirurgicamente no centro do alvo).
E cá está ele! O primeiro!, diga-se.
Tal como eu faria no seu lugar, Santana saberá manter a chama acesa e cobrará assim ad aeternum, maldosamente, ritmicamente, inteligentemente, o divino prazer ambicionado por Sampaio, como paga do que para ele não passou de um tropeção.

Acrescento que em troca da sua perversidade política (tudo se paga neste mundo) Santana terá de sofrer o síndrome do anonimato: serão poucos, demasiado poucos, os que verão a sua obra. E a cada dia que passe a vontade de gritar toda a profundidade da sua jogada aumentará, engordará e tornar-se-á um pesado fardo.

Ainda hoje li uma notícia sobre o pedido de indemnização de uns alunos a uma escola que os andou a enganar. Adivinham o que a direcção da escola diz? Com "Sampaio" como pista não é difícil: recusa-se a comentar.

segunda-feira, novembro 13, 2006

Constituição da República

Artigo 26.º(Outros direitos pessoais)

1. A todos são reconhecidos os direitos à identidade pessoal, ao desenvolvimento da personalidade, à capacidade civil, à cidadania, ao bom nome e reputação, à imagem, à palavra, à reserva da intimidade da vida privada e familiar e à protecção legal contra quaisquer formas de discriminação.

Artigo 42.º(Liberdade de criação cultural)

1. É livre a criação intelectual, artística e científica.

2. Esta liberdade compreende o direito à invenção, produção e divulgação da obra científica, literária ou artística, incluindo a protecção legal dos direitos de autor.

Welcome

bem-vindo

This is NOT America

Quando deparo com coisas como esta:

David Duarte, alegado autor de um blogue na internet, começou ontem a ser julgado no Tribunal da Covilhã pelos crimes de difamação, calúnia e injúrias, na sequência de uma queixa-crime apresentada pelo presidente da Câmara local, Carlos Pinto, que exige uma indemnização de 20 mil euros.

não sei em que país vivo, que Justiça tenho, nem quem é esta gente.

Vejam lá o desplante! Um blog! Ridicularizar S. Ex.ª o senhor presidente! Mas o pobre infeliz julgará que está onde?! Se não tem dinheiro para ir despejar as suas catarses no gabinete dum psiquiatra que vá disparatar pra casa da sogra, olha a cumenência!

E quem anda para aí a dizer que a justiça é lenta?! É lenta mas é para quem não é presidente. Imbrulha!

domingo, novembro 12, 2006

Balthus

Balthus; Dormeuse

Miau miau Maria

E foi o terceiro programa dos gatos fedorentos. Parece que o quarto também não vai ser melhor.

Assholes

- Democrats in US Congress means headache for China

- Iran, Syria Relieved That Democrats Won

Bush ganhou as eleições presidenciais a um louco perigoso.
Agora perdeu o Congresso.
Não tivesse desiludido as pessoas, mostrando ser um pateta alegre e educadinho em vez de um bruto pragmático.
Tiveram, os republicanos, a sua oportunidade e falharam. Tanta bomba que lá têm a apodrecer e a deixarem morrer soldados como gado.
O problema é que se isto não está nada bom, agora vai ficar pior. É que o facto de encarar os problemas de outra perpectiva não os resolve; apenas cria a ilusão que os resolve. A profundidade pode deixar de ser aparente mas está lá.

Ao que parece os democratas estão mais preocupados com a China! Ainda não sei se é por julgarem que com mais um empurrãozinho a convertem de vez ou se, como eu, se começam a aperceber que é no meio daquela salada chinesa que está a emergir uma nova ordem, uma nova teoria política, e isso os incomoda. (Os problemas da China, praticamente todos eles, têm as raizes, como os problemas do planeta, no excesso de população) ("excesso de população" é equivalente a "necessidade de gerir os recursos com cuidado").

Bem, eu gosto tanto dos democratas como qualquer outro europeu e desprezo de igual modo os republicanos mas até agora recuso-me a pertencer à seita que primeiro se regozijou com a mudança do Congresso. Até o Swarzenegerejdgfweffd fez uma pausa no despacho de penas de morte que tanto tempo lhe ocupa para grunhir que estava muito feliz.
Numa atitude geológica (fósseis índice), quando assim é nem preciso de pensar: se a Síria está contente...
(Agora vamos esperar para ver, como os médicos, e se for caso disso mudo o diagnóstico.)

Darwin

'But everything exceeded by ladies, like mermaids; could not keep eyes away from them' [1.17, p. 18a]

it's called an erection. Either that or malaria.

Efeito borboleta

Não há muito tempo era 560 000.
Efeito borboleta? Delírio paranóide

O número está mal escrito: 405 000. Nada de vírgulas nem pontinhos (são separadores decimais).

Welcome

bem-vindo bem-vindo bem-vindo bem-vindo

[Post dinâmico]

Não sou contra que se inventem palavras mas sou contra que se o faça à toa.
Mas sou sobretudo a favor de restaurar, e.g., Florejarem.
Contudo, as palavras do fundo do baú carecem de revelação: se não se facilita a comunicação não faz sentido usá-las e em vez de carinho está-se a gerar aversão.
O elitismo, outrora, era bom e até necessário. Outrora.

Palavreado bloguístico (inventado ou do fundo do baú):

-----

---------------
Contrição: eis que o Eça usa esta, para mal dos meus pecados:

"Ao jantar, a que assistiam lentes, Vilaça, enfiado e trémulo, fez um speech; ía citar o nosso imortal Castilho quando, sob as janelas, rompeu, a grande ruído de tambor e pratos, o Hino Académico. Era uma serenata. Ega, vermelho, de batina desabotoada, a luneta para trás das costas, correu à sacada, a perorar:....." Os Maias, cap. IV .
perorar

O que me remete para uma das minhas cenas preferidas, no capítulo V:

"- Vossa Excelência tem boa memória, Sr. Maia?
- Tenho uma razoável memória.
- Inapreciável bem de que goza!"

Você, senhor conde de Gouvarinho, vê essas coisas do alto!

plúrimos
-----roncopata
-----
bibelotes
-----
hostimizado
----- alcandorar
-----eticizante

sábado, novembro 11, 2006

Piu

E, de repente, vinda do nada, a lembrança de um blog.

Piu.
Piu piu piu. Piu.
Piu.

Ainda existirá?

(Se bem me lembro cheguei a postar um comentário. Rezava assim:

Uip uip uip uip.
uip.


)

Mark my words: um dos melhores blogs alguma vez criados. Oh! oh!

Tudo é vaidade e vento que passa

Condenaram este infiel

Hussein, rei da Pérsia

à morte por enforcamento.

Mas como?! Este homem já morreu!
Neste preciso momento:

Hussein is no more

sexta-feira, novembro 10, 2006

A cidadela

Esta seria a fotografia 'oficial' do município, fosse eu presidente da câmara de Bragança.
Também está no 1000 imagens e o autor é Rui Gomes.

Cidadela de Bragança. (c) Rui Gomes

O soluço do vulcão

Continuo sem saber mais nada acerca de Humberto Borges, o autor da bela fotografia da ponte da Arrábida que está ali ao fundo. De Joel Santos sei que anda por Timor, Deus o guarde, que tem este site, que já é consagrado e que tem algo de especial. Não sei o que ele tem, mas é um misto de saber, procurar, e ter os ventos dos deuses a favor. Seja o que for permite-lhe exibir fotos como esta:
(c)Joel Santos. www.joelsantos.net
Acho que talento é a palavra que diz isso tudo.

domingo, novembro 05, 2006

Welcome

http://www.mediamonitor.pt/

Miau maria

E foi o segundo programa dos gatos-miaus. Não parece que o terceiro vá ser melhor.

Por falar em plágio

Ontem vislumbrei na 2: um rapaz louro, esganiçado e suado, acompanhado por uma vocalista esganiçada, suada e mal vestida, num grande concerto, não sei onde, não sei quem são nem me interessa, a cantarolarem um cozinhado irlandês feito de "another brick in the wall" dos Pink Floyd com "feeling alive" (?) dos Bee Gees.
Se tivessse paciência ía investigar: gostava de saber se o plágio é assumido e legal...
Infelizmente gastei a paciência toda a tratar do template.

(Moby)

sábado, novembro 04, 2006

LOMOGRAPHY

It was decided that every respectable Communist should have
a Lomo COMPACT AUTOMAT of their own - a unique and compact dynamo with the ability to adapt to all situations and provide full documentation of their lives and loves in the USSR.






quarta-feira, novembro 01, 2006

copy-paste de uma solução

Link

Havia um general que defendia uma solução para a guerra do Vietname: declarar vitória e retirar. A posteriori todos concordam que teria sido provavelmente melhor. Mas, pelos vistos, aprenderam a lição. O 'desaparecimento' deste material, sem condições de sobrevivência no mundo actual, é o equivalente à retirada. A declaração de vitória já foi proclamada e festejada há muito tempo.on air


NASA perdeu o filme original sobre a primeira missão à Lua
Há um ano e meio que um grupo de veteranos da NASA procura as cassetes de vídeo da primeira missão à Lua, gravadas em Julho de 1969.

A agência espacial norte-americana (NASA) perdeu o rasto das cassetes de vídeo originais da primeira missão à Lua, gravadas em Julho de 1969, admitiu o porta-voz do centro espacial
Goddar.
No filme original é possível ver Neil Armstrong a proferir a célebre frase: "Um pequeno passo para o homem, um passo gigante para a humanidade".
O astronauta que foi o primeiro homem a andar na Lua, esteve na primeira missão lunar norte-americana a bordo da cápsula Apollo 11, com os astronautas Buzz Aldrin e Michael
Collins.
Aldrin e Armstrong aterraram na Lua a bordo do módulo Eagle, em Julho de 1969.


"A NASA está à procura das cassetes originais da caminhada no espaço da missão Apollo 11, a 21 de Julho de 1969", afirmou Ed
Campion, porta-voz do centro espacial Goddard, da NASA, em Greenbelt,
Maryland.
Os vídeos poderão estar em Goddard ou em qualquer outro local da rede de arquivos da
NASA, acrescentou o responsável.


Desde que, no centro espacial, se deram conta do desaparecimento destes registos - o que aconteceu há cerca de um ano e meio - que começaram a procurá-los.
As cassetes originais, onde se encontram dados da missão Apollo 11, foram registadas em três estações:
Goldstone, na Califórnia; Honeysuckle Creek; e no observatório Parkes, na Austrália. Depois foram enviadas para
Goddard, que as transferiu para os arquivos nacionais no final de 1969.

Foi só quando a Nasa decidiu recuperar as fitas e passá-las para formato digital, o que originaria imagens muito mais nítidas do inesquecível momento histórico, que a agência se deu conta do seu desaparecimento.
Por enquanto, as quase 700 caixas de transmissões continuam em paradeiro incerto.


Fontes oficiais da agência espacial americana garantem não haver motivo para preocupações, uma vez que existem outras cópias das transmissões televisivas, embora de qualidade inferior, e registos de outro tipo das informações aí documentadas.



Aqui