domingo, novembro 20, 2011

What?

Fuck.

terça-feira, novembro 15, 2011

Sears

"A quem me libertar, mata-lo-ei!"(*). Há de facto coisas que vêm tarde demais, parece.
Dois exemplos:
Compras online de lojas americanas


X100: máquina fotográfica digital (f/ fixa) mas com o design que nunca deveria ter sido posto de lado.

(*) O Génio e o Pescador

Juca, amas muito a tua Nené?

Agarro no livro "Vasco Pulido Valente", de Glória, perdão!, no livro "Glória", de Vasco Pulido Valente.
Leio, logo na undécima linha: Ou seja, num mundo exactamente oposto ao que nós conhecemos.
(meu sublinhado)
Suponho que os lisboetas não conseguem ver a idiotice que uma frase destas representa.
Nenhuma informação foi fornecida é bem dito!
Aquele "exactamente" então grita-nos que vale mais ir para o café beber qualquer coisa e dar treta com quem quer que seja, ir à pesca ou entretermo-nos a fazer festas ao cão mais próximo.
Como se não bastasse, na página seguinte, aparece um 1 pequenino a assinalar José Maria Peixoto.
Procuro no rodapé a importante informação. Nada. Interrompo a leitura e pesquiso. No fim do livro encontro, agrupadas por capítulos, as reveladoras Notas. Leio com fé de que a trabalheira vai valer a pena e ficarei elucidado sobre o misterioso Zé Maria. Leio com avidez: JCVC. Caderno de Apontamentos.

(silêncio venerando)

Estou atónito. Que simbolizará JCVC? Que mistérios reveladores se esconderão no maiúsculo Caderno de Apontamentos?
VPV alega muitas vezes nos seus escritos que é um escritor profissional. Será. Eu é que não estou para cair no ridículo absoluto (*) de queimar tempo a ler livros tontos.

(*) Lembrar o fatal "exactamente".

---
http://www.dn.pt/inicio/artes/interior.aspx?content_id=1262627&seccao=Livros

(VPV processou a editora! lol Obviamente o 'volume' está demitido das prateleiras: http://www.bertrand.pt/?palavra=pulido%20glória&restricts=8066&facetcode=temas)

Foi esta! Exactamente o oposto!
Esta não é a capa que me fez começar com o trocadilho do título. Esta está normal.



Não me admiro que os queiram vender (só há usados):

O mundo onde VPV escreve coisas com sentido.
Claro que não podia faltar um feliz cidadão do tal mundo exactamente, mas exactamente mesmo, oposto ao que nós conhecemos: http://uncyclopedia.wikia.com/wiki/Opposite_world                               

domingo, novembro 06, 2011

Caçadores da Noite

Está a passar agora mesmo, no canal Hollywood o surpreendente filme The Ghost and the Darkness.
É um dos raros filmes modernos que contém daquelas cenas que perduram na memória de forma inesperada. Neste filme há duas que imediatamente se impõem: o sonho onde o bebé aparece enorme (mas que nós, os espectadores, só damos conta disso quando vemos o verdadeiro) e a figura fantasmagórica do leão por entre o capim dourado. Assim dito não parece grande coisa, pois não? Mas quase garanto que os que viram o filme imediatamente  recordam estas cenas.
Suponho que o director de fotografia (Vilmos) seja o principal responsável.
A história verdadeira é, claro, interessante
http://www.sciencedaily.com/releases/2009/11/091102171204.htm

É claro que deixo aqui a cena responsável pela minha epifania em relação ao poder do cinema:


Walter Huston

E conto: anos depois de ter visto o filmezito e o ter esquecido, vi o Billy Crystal, algures, a fazer a happy dance e imediatamente revi a cena que ele invocava. Imediatamente. Sem ter consciência que a cena ficara indelevelmente guardada na minha memória. Uma epifania.

Walter Huston learned his famous jig from playwright Eugene O'Neill when he was performing in O'Neill's play "Desire Under the Elms" in 1925. This most famous of dances was unscripted and was Walter's idea. 







"This film has impressed itself on the heart and mind and soul of anyone who has seen it." (Richard T. Jameson).